ESTRUTURA DA CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE COLINA
A estrutura de um serviço público ou privado de abastecimento de água inicia-se no manancial passando pelas etapas de captação, adução, tratamento, reservação, rede de distribuição, estações elevatórias e ramal predial.

O sistema de abastecimento ou captação de água de Colina é composto de 17 poços semi-artesianos de onde bombeamos um total de 461m3/h de água potável.

Para reservação possuímos um total de 2.550m3 distribuídos em 16 reservatórios com capacidades variando de 70 a 600m3, que estão localizados em bairros estratégicos: Parque Morumbi, Jardim Nova Colina, Patrimônio, Jardim Taninha, Recinto P1 e P2, Av: Cel. Antenor J. Franco, Parque Débora Paro, Cohab 2, Av: Dr. Manoel P. Fernandes, Grêmio, Vila Hípica P1 e P2, Nosso Teto, Cohab 1, Jardim Moleiro e Polo Industrial 2.

A Represa do Burrinho (captação superficial) provém de várias minas, localizadas no Pólo Regional da Alta Mogiana. Na época das chuvas o excesso de água da Represa é destinado ao Córrego das Cabaças. O seu entorno conta com mata ciliar e curvas de níveis para protegê-la de enxurradas. Devido a sua localização distante do Aterro Sanitário e por ser uma captação isolada não tem população ribeirinha o que a isenta de qualquer poluição. Atualmente a captação da Represa funciona como stand by, devido ao volume captado pelos poços artesianos, ficando como reserva em períodos de estiagem. A vazão é por volta de 100m3/h.

Os poços da Cohab 2, Jardim Nova Colina, Parque Morumbi, Patrimônio e Jardim Taninha abastecem seus respectivos bairros.

Os poços da Av. Dr. Manoel P. Fernandes, Av. Cel. Antenor J. Franco e do Parque Débora Paro se misturam no Reservatório 500m3 da Rua Tiradentes que posteriormente é recalcada para o Reservatório Elevado do Jardim Moleiro que abastece vários bairros, sendo: Jardim Santa Lúcia, Jardim Simões, Vila São Sebastião, Vila Cunha, parte do Centro além de misturar com o Poço do Grêmio e abastecer a Vila Grêmio.

O Poço do Recinto abastece o Jardim Hípico e a parte que abrange o Posto de Saúde.

Os três principais córregos de Colina são: Córrego das Cabaças, Córrego José Venâncio e Córrego do Retirinho, sendo suas nascentes, respectivamente, localizadas na Fazenda Monte Belo, no Parque Débora Paro e na Fazenda Baixadinha.

Colina pertence à Bacia Hidrográfica Baixo Pardo/Grande, sendo esta composta por 13 Municípios: Altair, Barretos, Bebedouro, Colina, Colômbia, Guaíra, Guaraci, Icém, Jaborandi, Morro Agudo, Orlândia, Terra Roxa e Viradouro.

Durante o período da estiagem o consumo de água é maior que a captação e distribuição, a saída para amenizar a "falta" de água em certos bairros é a parada do sistema até que determinado reservatório recupere seu nível, ou seja, um racionamento temporário.

A colaboração da população no sentido de economizar água é muito importante.
Cada um tem o dever de economizar e de utilizar com cuidado.
Conscientizado-nos de que a água potável no planeta pode acabar.





O processo de tratamento da água do município é o mais simples, divididos em duas etapas:

 A desinfecção por meio da cloração, antes de entrar para a tubulação e distribuição, é realizada com a adição do hipoclorito de sódio (cloro) através de bombas dosadoras sendo a dosagem de 0,2 a 1,5mg/L controladas de hora em hora pelos operadores através de um equipamento de nome Colorímetro. Há 10 pontos de cloração o que corresponde atingir 100% da água encanada e tratada. Sua importância é devido à eliminação dos germes e microorganismos nocivos a saúde.

 A fluoretação, é realizada com a adição do ácido fluorsilícico (flúor) através de bombas dosadoras sendo a dosagem de 0,6 a 0,8mg/L controladas através de um equipamento de nome Fluorímetro. Há 10 pontos de fluoretação o que corresponde a 100% da água fluoretada. Sua importância é devido à proteção contra a incidência de cáries, principalmente no período de formação dos dentes.

Contamos ainda com um laboratório onde são feitas análises de pH uma vez ao dia, turbidez uma vez ao dia e bacteriológica duas vezes na semana da água de toda a cidade.

O que é um Poço Artesiano?
É uma obra de engenharia regida por normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que destina a captação de água em grande profundidade, que tecnicamente também é chamado de Poço Tubular.

A palavra Artesiano tem sua origem na França, Artois ou Artesia, que significa: fenômeno que a água do poço jorra ou eleva por si, para manter o equilíbrio do lençol subterrâneo. A palavra Semi-Artesiano é um termo popular usado para poço profundo em que a água não jorra, necessitando de ser bombeado para obtenção de um determinado volume de água.
Sua opinião é muito importante para nós.
Este é o canal entre você e o SAAEC.
35 anos prestando serviços de saneamento com qualidade e eficiência.
Faltou água ou precisa de reparos? Ligue: (17) 3341-4993
Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Colina. ©2017 - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido pela Williarts Internet